MEIO SOL AMARELO

Fiquei pensando em como fazer uma resenha do livro, o que e como contar, mas a verdade é que “Half of a Yellow Sun” (no Brasil publicado como “Meio Sol Amarelo”, pela Companhia das Letras), não é esses tipos de livro que você lê. É daqueles que você vive. Você vive a guerra, o sofrimento, a fome, a doença, a tristeza e os sonhos perdidos de uma guerra quase esquecida.

As palavras de Chimamanda tornaram-se um retrato vivo de um difícil momento da África, a Guerra de Biafra, quando o sudeste da Nigéria lutou de 1967 a 1970 pela independência tentando estabelecer a República Biafra, um estado não reconhecido.

A narrativa do livro é feita através de três perspectivas: Olanna, Ugwu e Richard, três personalidades distintas que se correlacionam durante o enredo e que, além disso, temos a oportunidade de viver a guerra por três visões diferentes, que sofreram impactos em lugares diferentes. 

Olanna é uma moça rica da Nigéria, que diferente da sua família (e irmã gêmea não idêntica), a ambição e poder não correm pelos poros. Vai para Nsukka lecionar na universidade local e viver de amor com Odenigbo, um revolucionário nacionalista.

Ugwu é um garoto pobre de uma aldeia que logo no começo da história, consegue emprego de criado na casa de Odenigbo, companheiro de Olanna. Ugwu e os patrões compartilham lealdade, que cuidam da família do garoto e exigem que ele se dedique aos estudos dando todo o suporte necessário.

Richard, o jornalista Britânico que vai para a Nigéria a fim de escrever um livro após se apaixonar pela arte Igbo-Ukwu. Apaixona-se pela irmã de Olanna e passa a construir uma relação forte e duradoura com a mulher.  

O interessante do livro é que ele fala sobre a guerra de uma maneira bem diferente, contando os impactos através dos personagens, uma espécie de ficção ambientada em fatos verídicos. Parece meio confuso, mas não é. Para mim foi mais fácil de entender, já que assim como muitas pessoas, eu nunca soube nada sobre a África e seus países.

Chimamanda  conta a história de seus ancestrais, de sua cultura, de seu país. Onde o título “Half of a Yellow Sun” foi inspirado na bandeira da Biafra que tem metade de um sol amarelinho.

O fato de a autora estar conquistando forte notoriedade através de histórias que seu povo sofreu, é uma coisa muito linda! Enche de orgulho pelo fato de ser mulher, ser negra e estar carregando para o mundo inteiro as histórias desconhecidas que ninguém se interessa a ler, e quando lê fica admirado, fica triste e revoltado.

Chimamanda representa muito bem seu povo! Uma mulher para se inspirar. <3 :)

Livro: Meio Sol Amarelo
Autor: Chimamanda Ngozi Adichie
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 503
♥♥♥♥

snapchat – meurrelicario | Instagram | twitter | facebook & facebookpinterest

Boas leituras!

8 comentários

  1. Eu preciso muito ler alguma coisa dessa mulher, tudo o que eu vejo sobre ela parece incrível, as suas ideias, os seus livros... Enfim, preciso ler.
    Beijos
    Mari
    www.pequenosretalhos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mari, leia sim.. Eu também só ouvia bons comentários até que resolvi conhecer melhor o trabalho dela e estou amando.

      Beijo

      Excluir
  2. Essa mulher! Quero muito ler Hibisco Roxo e Americanah, agora esse também vai para a minha lista huahua
    Essa escritora é incrível <3
    Também quero ler mais autoras daqui pra frente huahua

    bruna-morgan.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Já vi vários comentários bons sobre esse livro e ele me parece ser o tipo de leitura que gosto, relacionado a histórias reais, guerras e superações. Eu sou dessas que gosto de ler livros melosos, bem amorzinhos OU livros assim, tipo esse. Ficção e coisas do gênero, não consigo ler hahaha.

    Enfim, me interessei por esse. Já está anotado na lista de livros para ler quando o tcc acabar hahaha

    ResponderExcluir
  4. Caramba, não conhecia, vou colocar na minha lista. Gostei da proposta dele que você narrou.
    charme-se.com

    ResponderExcluir
  5. Para ler pra ontem, né Stéfhanie? Maravilhosa essa dica, já coloquei aqui na listinha de leituras.

    ResponderExcluir
  6. Stéfhanie, pela resenha me pareceu super interessante.. estou com várias ideias de livros pra ler, vou procurar ler esse também. Beijão!

    www.outrodetalhe.com

    ResponderExcluir
  7. Nossa, que profundo!
    <3
    Eu nunca li um livro assim, geralmente to lendo ficção e fantasia, mas pode apostar que eu vou procurar!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e pelo comentário.
Deixe sua URL junto ao comentário para que eu possa retribuir o carinho em seu blog! ♥