A PROCURA DE AUDREY

Faz tempo que não falo sobre os livros que leio, e logo que terminei ''A Procura de Audrey'', vi que essa era uma ótima oportunidade de indicar um livro bom.

Com a correria do dia a dia, faculdade e trabalho, acabo optando por leituras mais leves de modo que eu possa relaxar e me refugiar, e Sophia Kinsella consegue me proporcionar exatamente isso. Aliás, já contei por aqui como me tornei fã dessa dona de uma escrita leve, criativa, simples e descontraída - que em “A Procura de Audrey” não é diferente.

O livro gira em torno de uma família composta por Audrey, seus dois irmãos (Félix e Frank) e seus pais. Faz referências na cultura geek (Scott Pilgrim e Minecraft) e uma mãe doidinha que deseja que Frank pare de jogar LoC de uma vez por todas, mas que acima de tudo, quer que Audrey fique bem.

Audrey tem transtornos psicológicos desde que sofreu bullyng (ela não deixa claro o que aconteceu) e diariamente tenta lidar com isto – minha parte favorita. A autora descreve as sensações da menina de maneira brilhante. Os medos e fantasmas que perseguem o que uma pessoa em depressão passa; a ansiedade, inferioridade e pavor só de pensar em entrar em contato com pessoas que não seja aqueles que vivem em sua casa. Mas acima de tudo, a sua vontade de ficar bem. “A vida é tipo uma escalada: você cai e se levanta de novo. Então não importa se der uma escorregada.”

As consultas com sua terapeuta Sarah são bem interessantes e faz você sentir e imaginar todo o cenário. Também é interessante um documentário que a dra. sugere para Audrey: usar uma câmera e gravar pequenos momentos do dia em casa. Ela também narra esses momentos como observadora e, posteriormente, deve começar a interagir com as outras pessoas através do vídeo. Nós conhecemos esses pedaços da história através de transcrições das cenas.

No meio da jornada, há também Linus, um amigo de Frank que está sempre ao lado da garota, mostrando compreensão e empatia. Achei muito fofo. Ele propõe diversos ‘’desafios’’ para que ela possa, a cada dia, desafiar os fantasmas de sua mente. 

No geral, os personagens são muito bem construídos e a história flui muito fácil. Ao longo dos capítulos e melhora de Audrey, você vai conhecendo-a e se apaixonando ainda mais. É forte a vontade que você sente em vê-la melhor. Torci muito por isso.

Uma leitura que vale a pena
''A rainha do chick lit e das listas do New York Times em seu primeiro YA: um romance inspirador sobre família, primeiro amor e depressão. Audrey, 14 anos, leva uma vida relativamente comum, até que começa a sofrer bullying na escola. Aos poucos, a menina perde completamente a vontade de estudar e conhecer novas pessoas. Sem coragem de sair de casa e escondida por um par de óculos escuros, a luz parece ter mesmo sumido de sua vida. Até que ela encontra Linus e aprende uma valiosa lição: mesmo perdida, uma pessoa pode encontrar o amor.''

Livro: À Procura de Audrey
Autor: Sophie Kinsella
Editora: Galera Record
Páginas: 336
♥♥♥♥

snapchat - meurrelicario | Instagram | twitter | facebook & facebookpinterest 

3 comentários

  1. O livro aparenta ser bacana de ler, já ouvi falarem dele várias vezes.

    beijos <3

    ResponderExcluir
  2. Caraaa eu sou APAIXONADA pela Shopie Kinsella! Adoro os livros dela. Como to fora do Brasil, to meio OFF do que ta rolando de bom por esses lados. HAHAHA Mas eh otimo post com indicacao! Vou tentar ler por aqui, mesmo que ingles. =) Beeeeijo

    http://www.verdadeescrita.com/mae-eu-sou-bi/

    ResponderExcluir
  3. Adoro livros que mostram personagens que se parecem com a gente, personagens com problemas da vida real sabe?gosto disso!
    Fiquei curiosa pra saber mais sobre o livro hehe
    beijos
    Follow Cíntia

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e pelo comentário.
Deixe sua URL junto ao comentário para que eu possa retribuir o carinho em seu blog! ♥