VIOLETAS DE MARÇO

Havia comprado Violetas de Março pra ler lá no mês março e acabei deixando-o na prateleira pelos sete meses seguintes. Mas como acredito que tudo na vida tem momento certo para acontecer, acabei largando de mão, e eis que, no finalzinho de outubro à vontade de lê-lo finalmente chega. Fiz em dois dias o que demorei sete meses para fazer. Devorei. 
 
Escrito por Sarah Jio, Violetas de Março é muito mais que uma capa bonita, é um livro envolvente, marcante, mas ao mesmo tempo leve. Daquelas levezas que você sente estar deitada na rede em uma tarde de domingo.

A história aborda a vida de Emilly Wilson, uma consagrada escritora que se encontra completamente abalada e sem inspiração após o sucesso de seu primeiro livro e o término de seu casamento com Joel, que a troca por outra mulher.

Com o intuito de se libertar da tristeza e encontrar novamente seu rumo, Emily decide passar um tempo em Bainbridge, uma pequena ilha onde viveu a maior parte de sua infância, ao lado de sua doce tia Bee.  

Já hospedada em um dos quartos que tia Bee escolheu para ela, Emily encontra um diário que foi escrito em 1940, por Esther, uma mulher apaixonada e misteriosa, que também foi habitante da ilha naquela época e esconde um grande segredo que envolve a todos. Emily se enxerga rodeada de segredos e ao passo que ela vai desvendando esses mistérios, a história fica ainda mais surpreendente.. E melhor, nada de final clichê. 
Puxei o diário da gaveta do criado-mudo, mas podia sentir a exaustão em cada osso do meu corpo, por isso, coloquei-o de volta em seu lugar. E enquanto deslizava para o sono, não pude fazer nada além de sentir que estava abandonando Esther, deixando-a sozinha naquelas páginas para enfrentar seus próprios problemas, para cuidar de si mesma. No entanto, eu também estava me defendendo, em meio à minha própria nova história.”  
A diagramação é de ótima qualidade, com capítulos curtos e folhas amareladas que dificilmente te deixara cansado com a leitura. Eu recomendo o livro para quem gosta/deseja uma leitura leve, simplória, mas cheia de lições de vida por entrelinhas.

 São violetas-madeira. Não as via na ilha desde…— Elas são muito raras  prosseguiu Henry, preenchendo o vazio que Bee havia deixado quando sua voz sumiu.  ocê não pode plantá-las, pois elas não vão crescer. Elas têm que escolher você.
Espero que gostem da minha segunda resenha, para ler a segunda clique aqui
Beijos e sorrisos.
Skoob

7 comentários

  1. Gostei bastante da resenha! ;D

    E que bom que você gostou do blog viu?
    O seu também está de parabéeens!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você gostou da resenha, Cih! ^^
      Obrigada!

      Excluir
  2. oh, que lindo esse livro, ainda é cheio de florzinhas nos cantinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também fiquei encantada com as florzinhas assim quando vi, Elisa! ^^

      Excluir
  3. Eu morro de vontade de ler, mas ainda não tive oportunidade :/

    www.iasmincruz.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando tiver, o faça, Iasmin! Garanto que não vai se arrepender. (:

      Excluir
  4. Stéfhanie, gosto de vários estilos de leitura. Gostei da dica.
    Depois que eu criei o blog, diminuí o hábito da leitura, mas vivo me penitenciando por isso rs
    Vou anotar a tua dica, tenho uma lista para retomar a leitura.
    A capa do livro é encantadora!

    bjs

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e pelo comentário.
Deixe sua URL junto ao comentário para que eu possa retribuir o carinho em seu blog! ♥